RIR É BOM, MAS RIR DE TUDO É DESESPERO. ATÉ QUE PONTO UMA PIADA É SÓ UMA PIADA?

11 janeiro 2018

Uma  piada que diminuiu e ridiculizara a imagem do outro  pode não criar o preconceito mas o potencializa. 


Nos últimos anos a cultura do politicamente correto vem crescendo e como tudo tem seus prós e contra, o que alguns chamam de tradição e costumes, outros chamam de preconceito. A questão é que moldar a forma de pensar e agir do outro pode ser vista como uma forma de censura, mais discursos opressores mesmo de forma humorada ferem a dignidade do outro que hoje ao ver sua imagem aviltada reclamam e expõem sua opinião diante do humor legitimador de praticas opressoras. O preconceito arraigado na sociedade ganha força na frase que diz : - É SÓ UMA PIADA! Rir é da nossa natureza, mas rir de tudo, como diz Victor Hugo em seu poema Desejo, é desespero, o mesmo poema em um dos versos reforça o que venho afirmar:

[...]Desejo que você descubra,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.[...]

Se faz necessário indagarmos, até que ponto uma piada, seja verbal ou não verbal, pode ser vista de forma preconceituosa e desrespeitosa. Não me refiro aos comediantes que vivem em função de fazer rir, este é assunto para uma outra discussão que envolve publico e mídia; me refiro a pessoas próximas, amigos, colegas, conhecidos, nos diferentes meios nos quais estamos inseridos, assim como nas redes sociais onde tudo é compartilhado, mesmo quando não se há uma real intenção de ofender ao compartilhar algo que de forma sarcástica ridiculariza um determinado grupo de pessoas, você esta contribuindo com o preconceito opressor que inicia com uma simples piada.


Pode até ser que até pouco tempo atrás  piadas de loira, negros, gays e tantas outras não fossem tão questionadas, no entanto os tempos mudaram e estas minorias ganharam voz, e demonstram o quanto se ofendem e expõem a dimensão que uma chamada "simples brincadeira", pode ter. Estou levantando essa questão pois recentemente em um dos grupos de whatsApp me senti ofendida assim como outras pessoas com uma postagem de um colega sobre mulher, compreendi que naquele momento ele não tinha noção do quanto poderia estar sendo ofensivo . Quando existe tenacidade com relação a uma piada que você faz se redimir cai bem, não foi o que aconteceu. Para quem faz e transmite pode ser super engraçado mais para quem vive na pele sendo motivo de chacota não é muito agradável. Posso afirmar!

Ridicularizar  parte da nossa ignorância, mas a partir do momento que podemos ver de formar mais ampla o quanto fere a dignidade do outro, um pedido de desculpa pode ser bem vindo. A questão aqui não é ser moralista, o fato é que não devemos naturalizar um discurso discriminatório.

 Piadas preconceituosas sempre existiram, por isso quando questionadas são vistas como opressão a liberdade de expressão, mas é valido lembar que brincadeiras como esta perpetuam a discriminação e a estigmatização. Sua liberdade termina quando a do outro começa, quando alguém dar o sinal de alerta de que estar ofendido com uma piada, é hora de parar e desculpar-se.