15 outubro 2017

PREFIRA UM AMOR FEINHO

Perfeição é ilusório ser realista é uma necessidade quase que vital, só não é tão simples quanto respirar.


Diante das adversidades da vida nos torturamos e nos martirizamos de tal modo que ficamos atônicos por demasiado tempo. Estas situações são frutos, na maioria das vezes, de nossas inter-relações. Mas conviver é um mal necessário, é o que nos permite ser quem somos, é na convivência que somos moldados, e neste processo incluí a decepção, é nesses momentos que aprendemos lições importantes, o fato respalda a frase de efeito que diz que a "dor precisa ser sentida." 

A decepção é trivial, esta sempre relacionada as pessoas que amamos, nestas colocamos muitas expectativas e acabamos criando uma imagem que não existe . Embelezamos demais e deixamos de ver o feio.  Adélia Prado poetisa brasileira do século XX, trás esta percepção da realidade, com seu realismo que se destaca no poema   "Amor Feinho," que faz parte do seu livro de estreia Bagagem publicado em 1976.

AMOR FEINHO

Eu quero amor feinho.
Amor feinho não olha um pro outro.
Uma vez encontrado é igual fé,
não teologa mais.
Duro de forte o amor feinho é magro, doido por sexo
e filhos tem os quantos haja.
Tudo que não fala, faz.
Planta beijo de três cores ao redor da casa
e saudade roxa e branca,
da comum e da dobrada.
Amor feinho é bom porque não fica velho.
Cuida do essencial; o que brilha nos olhos é o que é:
eu sou homem você é mulher.
Amor feinho não tem ilusão,
o que ele tem é esperança:
eu quero um amor feinho.

(Adélia Prado)



Vale enfatizar que o feio que a autora coloca é o tolerável " feinho" o que explica a palavra no diminutivo, uma relação que inclua sofrimento e dor, é um sinal de alerta para abster-se de algum modo desta, caso contrário quanto mais feridos formos mais debilitados ficamos e mais dificuldade teremos para seguir em frente.

Hoje somos independentes, capazes de decidir a própria vida, seguras de si, no entanto quando se trata do amor somos vulneráveis. Querendo ou não dentro de nós existe uma mocinha romântica é preciso ser realista tal qual respalda o poema, já falamos sobre isso aqui no blog em  Prazer me chamo Alice, somos todas Alices!

 O amor é maravilhoso, porém não é perfeito, perceber o feio nos permite CUIDAR DO ESSENCIAL, manter relações sólidas, ou perceber se vale apena, pois o amor feinho não é aquele que lhe faz mal, com relacionamentos tóxicos, este é realista não vive de deslumbre. É PRECISO  ELUCIDAR  O AMOR, é  preciso perceber o feio, para saber aproveitar o belo e não se magoar tão constantemente.