23 agosto 2017

O DRAMA DE UMA GERAÇÃO; FILME JUVENTUDES ROUBADAS


O filme da semana é uma história de guerra baseado em fatos reais, através do olhar feminino de Vera Brittain, escritora Inglesa que faz um panorama histórico do terror e as perdas causadas durante a primeira guerra mundial. O roteiro tem como base o seu livro intitulado Testament of Youth, lançado em 1933. 

Foto reprodução
foto reprodução

O filme britânico lançado em 2015 intitulado, JUVENTUDE ROUBADAS aborda diferentes assuntos de cunho social, tendo a guerra como tema central e seus efeitos na vida das pessoas, em especial dos jovens representados por Vera Brittain ( Alicia Vikander ) seu irmão, noivo e amigos; em meio a tudo isso outras questões sociais são exploradas como as limitações impostas a mulher.
Foto reprodução
Vera luta com o pai para conseguir ir para a universidade, o mesmo julga o investimento um gasto desnecessário, a  sua preparação devia ser para o casamento, homens não iriam querer uma mulher dedicada aos livros, pensamento comum para a época. 
foto reprodução

Justamente a determinação da jovem em querer estudar e torna-se escritora, é o que aguça o interesse do jovem­­­­­­­­­­­­ Roland (Kit Harrington, Jhon Snow de Game of Thrones), ambos protagonizam a história de amor da trama. Relação repleta de tensão sexual, até o toque no outro era limitado o que representa bem a repressão sexual deste periodo, preservar a “virtude” era fundamental, os jovens apaixonados mesmo com a permissão dos pais só poderiam se encontrar na presença de uma dama de companhia. 

Vera entra para Oxford, e faz planos de casar –se com Roland e conciliar o casamento com os estudos universitários. Com o inicio da guerra tudo muda, seus amigos, seu amor, seu irmão assim como tantos outros jovens, vão para o campo de batalha . A partir deste ponto o filme se torna cada vez mais triste,  em um luto continuo, com cenas em tons acinzentados, representando o quanto a guerra afetou a vida das pessoas, que  todos os dias abriam os jornais  com listas intermináveis de mortos, torcendo para não encontrar um amigo parente ou conhecido.
Foto reprodução
Sentindo a necessidade de se fazer útil Vera tranca a universidade e se alista como enfermeira voluntária, onde chega a cuidar tanto de seus aliados como os inimigos de guerra. O que a faz refletir sobre as perdas de ambos os lados, onde ninguém de fato vence.

O filme não poupa o telespectador, não há muitas cenas no campo de batalha, a história se faz nas enfermarias, com cenas de homens mutilados, onde alguns não tem nem a chance de ser atendido por julga-se não haver muito o que fazer, foi o que aconteceu com Roland, o amor de Vera, que avisa que voltaria antes do natal, para casar-se com ela. No dia do casamento quando estava a espera do noivo a jovem recebe a noticia de sua morte.
Foto reprodução
A história resume-se no luto, cada vez as cenas se tornam mais tristes. Assim como o noivo, Vera perdeu o irmão e amigos, assim como tantos outros.  Diante de tanta tristeza e desolação e inúmeras perdas , a jovem começa a lutar contra  o extermínio no qual é a guerra, tornando pacifista.
Foto reprodução
Vale muito apena conferir este filme, que trás causas de engajamento e expõe o drama de uma geração. Sem falar que tem Kit Harrington, com todo o seu olhar charmoso,  e sua cremosidade, hahaha.  Bom filme!