23 agosto 2017

O DRAMA DE UMA GERAÇÃO; FILME JUVENTUDES ROUBADAS


O filme da semana é uma história de guerra baseado em fatos reais, através do olhar feminino de Vera Brittain, escritora Inglesa que faz um panorama histórico do terror e as perdas causadas durante a primeira guerra mundial. O roteiro tem como base o seu livro intitulado Testament of Youth, lançado em 1933. 

Foto reprodução
foto reprodução

O filme britânico lançado em 2015 intitulado, JUVENTUDE ROUBADAS aborda diferentes assuntos de cunho social, tendo a guerra como tema central e seus efeitos na vida das pessoas, em especial dos jovens representados por Vera Brittain ( Alicia Vikander ) seu irmão, noivo e amigos; em meio a tudo isso outras questões sociais são exploradas como as limitações impostas a mulher.
Foto reprodução
Vera luta com o pai para conseguir ir para a universidade, o mesmo julga o investimento um gasto desnecessário, a  sua preparação devia ser para o casamento, homens não iriam querer uma mulher dedicada aos livros, pensamento comum para a época. 
foto reprodução

Justamente a determinação da jovem em querer estudar e torna-se escritora, é o que aguça o interesse do jovem­­­­­­­­­­­­ Roland (Kit Harrington, Jhon Snow de Game of Thrones), ambos protagonizam a história de amor da trama. Relação repleta de tensão sexual, até o toque no outro era limitado o que representa bem a repressão sexual deste periodo, preservar a “virtude” era fundamental, os jovens apaixonados mesmo com a permissão dos pais só poderiam se encontrar na presença de uma dama de companhia. 

Vera entra para Oxford, e faz planos de casar –se com Roland e conciliar o casamento com os estudos universitários. Com o inicio da guerra tudo muda, seus amigos, seu amor, seu irmão assim como tantos outros jovens, vão para o campo de batalha . A partir deste ponto o filme se torna cada vez mais triste,  em um luto continuo, com cenas em tons acinzentados, representando o quanto a guerra afetou a vida das pessoas, que  todos os dias abriam os jornais  com listas intermináveis de mortos, torcendo para não encontrar um amigo parente ou conhecido.
Foto reprodução
Sentindo a necessidade de se fazer útil Vera tranca a universidade e se alista como enfermeira voluntária, onde chega a cuidar tanto de seus aliados como os inimigos de guerra. O que a faz refletir sobre as perdas de ambos os lados, onde ninguém de fato vence.

O filme não poupa o telespectador, não há muitas cenas no campo de batalha, a história se faz nas enfermarias, com cenas de homens mutilados, onde alguns não tem nem a chance de ser atendido por julga-se não haver muito o que fazer, foi o que aconteceu com Roland, o amor de Vera, que avisa que voltaria antes do natal, para casar-se com ela. No dia do casamento quando estava a espera do noivo a jovem recebe a noticia de sua morte.
Foto reprodução
A história resume-se no luto, cada vez as cenas se tornam mais tristes. Assim como o noivo, Vera perdeu o irmão e amigos, assim como tantos outros.  Diante de tanta tristeza e desolação e inúmeras perdas , a jovem começa a lutar contra  o extermínio no qual é a guerra, tornando pacifista.
Foto reprodução
Vale muito apena conferir este filme, que trás causas de engajamento e expõe o drama de uma geração. Sem falar que tem Kit Harrington, com todo o seu olhar charmoso,  e sua cremosidade, hahaha.  Bom filme!

17 agosto 2017

EU

Por Florbela Espanca




Até agora eu não me conhecia,
Julgava que era eu e eu não era
Aquela que em meus versos descrevera
Tão clara como a fonte e como o dia. 

Mas que eu não era eu não o sabia 
E, mesmo que o soubesse, o não dissera... 
Olhos fitos em rútila quimera 
Andava atrás de mim... E não me via!
Andava a procurar-me - pobre louca!

- E achei o meu olhar no teu olhar, 
E a minha boca sobre a tua boca!
E esta ânsia de viver, que nada acalma,
É a chama da tua alma a esbrasear
As apagadas cinzas da minha alma!


Fonte: ESPANCA, Florbela. A mensageira das violetas: antologia. Seleção e edição de Sergio Faraco. Porto Alegre: L&PM, 1999. (Pocket).

08 agosto 2017

AGOSTO DOURADO - LEITE MATERNO É OURO

O mês de agosto é conhecido pela má fama, fatos históricos respaldam a crendice popular. Figuras importantes do meio social e político morrerem nesse período do ano tais como: Marilyn Monroe, Carmen Miranda, Juscelino Kubitschek, popularmente chamado de JK; presidente Getúlio Vargas e no dia 06 de agosto de 1945 o mundo choca-se ao conhecer uma arma em destruição em massa, a bomba atômica lançada sobre a cidade japonesa de Hiroshima por um bombardeiro. Em meio a todos os fatos históricos que o marcam, esse mês tem uma campanha pela vida que poucas pessoas conhecem que merece ser respaldada por encher de beleza um mês tão marcado por tragédias - AGOSTO DOURADO - em prol do Aleitamento Materno.


Foto divulgação


Embora há mais de vinte anos, em agosto, sejam realizadas ações em todo o mundo voltadas para a ação Mundial de Aleitamento Materno. Muitas pessoas ainda desconhecem esse evento e sua importância. O fato deve-se a baixa publicidade em torno da campanha, pois o bem mais precioso o leite materno, tal qual pautado pela a mesma, vale ouro, não precisa de intermédios de grandes empresas, a obra prima é produzida pela própria mãe.

 Em 2017, o tema central é a construção de alianças para proteger o aleitamento materno, pelo bem comum, todos juntos, sem conflitos de interesses, sem nenhum tipo de fins financeiros, a campanha é em prol da vida.
Arena do Grêmio, iluminação especial irá durante a
 Semana Mundial da Amamentação, de 1º a 7 de agosto Foto/ Divulgação Grêmio

Durante todo o mês pontos turísticos, simbólicos, espalhados pelo mundo todo, como o Cristo Redentor, serão iluminados pela cor dourada, com o objetivo de chamar a atenção para esse movimento de incentivo à amamentação como o alimento exclusivo durante os primeiros seis meses de vida, com o objetivo de consequentemente melhorar a saúde dos bebês. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), a amamentação é uma das formas mais eficazes de garantir a saúde e a sobrevivência dos recém-nascidos. Se toda criança fosse amamentada desde o nascimento até os 2 anos, mais de 800 mil vidas seriam salvas anualmente, estimam as entidades.
Foto reprodução

O leite materno é um alimento completo e essencial, é o sangue da mãe sem os glóbulos vermelhos, ele contém hormônios, imunoglobulinas, células de defesa, fatores de proteção, o que é essencial, por reunir as características nutricionais adequadas as exigências nutricionais do bebê. Leite materno é vida, amamentar é um ato de amor.

01 agosto 2017

NEM TUDO É O QUE PARECE, FILME A GAROTA DO TREM


O cinema necessita de uma linguagem mais rápida e precisa, embora nessa precisão perca-se muito da essência da obra original. Mas enfim, entre o livro e o cinema o melhor é não fazer comparações estes possuem distinções. Se você ler uma obra se envolve imagina as situações os personagens e vai com expectativas de ver isso nas telas, não se iluda, lembre-se que você vai ter uma adaptação não uma cópia. O filme desta semana trata-se de uma adaptação.

Foto divulgação


O filme lançando em 2016, é uma adaptação do best-seller, A Garota do trem ( The Girl on the Train) escrito por Paula Hawkins, onde conta a história de três mulheres; Rachel ( Emily Blunt), Megan (Haley Bennett) e Anna (Rebeca Ferguson) que rebelam-se contra pressões masculinas e sociais.

O longa, embora condensado, baseia-se nestes fatos trazendo questões de abuso psicológico, violência de gênero e pressões de maternidade. 
Foto divulgação
A protagonista Rachel , no qual o titulo se refere, por passar boa parte do seu dia no trem, foge a regra, por trata-se de uma alcoólatra desempregada e em estado de degradação social. A mesma sofre com apegações, nos quais deixam espaços na narrativa que impossibilita a compreensão e construção dos fatos. A trama é um verdadeiro quebra cabeças, é literalmente a confirmação de que nem tudo é o que parece

 A história contada de forma não linear lhe prende do inicio ao fim. Através de flashbacks e de forma paralela vamos conhecendo o íntimo das três mulheres, que na verdade são pessoas tristes vitimas de homens opressores. 

Rachel ( A garota do trem) sofre com um divórcio recente, por conta da traição do marido, todos os dias passa por seu antigo bairro onde vive, Tom, o ex-marido agora com nova esposa, Anna e um bebê, o que a frusta pois sofreu muito para aceitar a sua própria infertilidade, o que a levou a desenvolver uma depressão severa e o alcoolismo, antes mesmo da separação. Nessas viagens começa a observar um outro casal, seus ex vizinhos, nos qual transferi sua ideia de felicidade. 

Tudo muda quando Rachel ver da janela do trem a moça ( Megan) beijado outro homem, o que a faz relembrar a traição sofrida pelo marido, a jovem exemplo de felicidade a decepciona, ao vê-la jogar a sua julgada vida “ perfeita” , fora. Nesta mesma noite Megan some, e esse sumiço é o mistério a ser desvendado, com ele várias outras mentiras e fatos obscuros vão sendo descobertos, em um maçante processo de construção e desconstrução da história. 

 O que fica claro ao publico é que Rachel de algum modo esteve relacionada ao sumiço da jovem, mas por conta da bebida e de seus apagões não consegue lembar o que aconteceu.
Foto divulgação
O que houve com Megan? Que relação tem a vida dessas três mulheres? Três histórias, três mulheres muito humanas, cheia de falhas, que tem suas vidas ligadas através de um crime. Saiba mais sobre este mistério, assista ao filme, espero que goste, além do suspense e as sensações causadas, possibilita-nos  profundas reflexões sociais.