12 abril 2017

ESCREVER E PENAR

Por Ana Elizandra Gomes Ribeiro




Eu escrevo e peno
e a pena se empenha
neste letárgico rimar.

Escrever
         Penar
           Seguir
é minha lida
ou minha sina.
Não sei.

Quando peno, escrevo
e a pena me alivia
a pena de viver
no escrever

Quando escrevo, peno
e a pena comigo pena
na lida de fazer
da dor um poema
Anna Elizandra/ Foto: Reprodução


É com muito prazer que trago um dos poemas que particularizante mais gosto de Ana Elizandra Gomes Ribeiro.

Numa rápida analise podemos observar que o poema possui quatro estrofes, que a principio transmitem  ideia de simplicidade pela singeleza na qual as palavras são colocadas. Em uma leitura mais atenta podemos perceber a riqueza na qual cada palavra é colocada. Logo na primeira estrofe a poeta fala sobre o seu sentir poético:


Eu escrevo e peno
e a pena se empenha
neste letárgico rimar.


Em uma analogia entre a pena( usada nos primórdios da  escrita) e o penar (sofrer,melancolia) A poeta reflete sobre o seu fazer poético ao ponto que o eu-lirico não sabe ao certo, se de fato é sua lida ou sua sina.

Escrever
         Penar
           Seguir
é minha lida
ou minha sina.
Não sei.


Nas duas ultimas estrofes cogita - se sobre sua escrita, sendo que seu penar aguça sua criatividade e a faz escrever. Nesse caso a escrita é o modo encontrado para o alivio das frustrações rotineiras. Assim ESCREVER E PENAR, tornam-se aliados " fazendo da dor um poema".

Quando peno, escrevo
e a pena me alivia
a pena de viver
no escrever

Quando escrevo, peno
e a pena comigo pena
na lida de fazer
da dor um poema


Ana Elizandra é minha conterrânea, mora no meu estado Maranhão, e minha Cidade Santa Luzia, o que é um orgulho para mim. Ela que tem participação em diversas antologias e possui livros  lançados. Os principais deles são: Conversa de Alguém que sente, 2008. Quatro mãos, 2010 e o mais ressente; Disperso em verso, lançado em 2015. Com sua obra Ana já recebeu diversos prêmios dentro e fora do país. Embora exista poemas escritos por ela com caráter engajado levantando questões sociais, o intimismo é o que melhor caracteriza sua escrita.