30 março 2017

A HISTÓRIA DE UMA ESTRELA, FILME SELENA

Esta cada vez mais difícil conseguir aparecer por aqui, assim fiquei devendo o filme da semana passada, mas voltamos e já temos a indicação desta semana. O filme lançado em 1997,  conta a comovente história de Selena Quintanilla, cantora assassinada no auge de sua carreira. 


Jennifer Lopes interpretando Selena/ foto reprodução



O filme biografia intitulado "Selena", com direção de Gregory Nava foi lançado em seu país de origem, Estados Unidos, sobre fortes criticas de alguns que julgavam oportunismo da família em lançar um filme  15 meses  após a sua morte. Muitos acreditam que foi uma forma de alavancar o álbum que estava pronto na época, e preste a ser lançado. Porém existem aqueles que julgam que foi a forma encontrada de manter viva a memória da brilhante e talentosa cantora. E de fato assim se fez. Através do filme estrelado por Jennifer Lopes, que teve seu primeiro papel de destaque. Selena alcançou sucesso póstumo, tornando-se conhecida em todo o mundo.


A história narra a transição e amadurecimento de sua vida profissional, da infância aos 9 anos a fase adulta, aos 23 anos quando é assassinada. 
Selena e sua banda/ foto reprodução

A carreira inicia na banda Selena y Los Dinos, grupo formado por ela e seus irmãos e idealizado por seu pai. Banda que tinha por objetivo animar rodeios e festas municipais, no entanto, Selena ganha destaque por seu talento singular, tornando-se " A Rainha da Cumbia", e conquistando um mercado até então dominado por homens.


Registro real de Selena ao lado de sua
assassina Yolanda Saldíver/ foto reprodução
Na época de sua morte Selena já faturava
muito com sua carreira, já fazia publicidade
para grandes empresas a exemplo a Coca-cola,
 na qual foi garota propaganda.


A vida de Selena é interrompida no auge de sua carreira onde vinha conquistando cada vez mais publico, fama e dinheiro. Sua vida é tirada pela enfermeira  Yolanda Saldívar, que também era presidente de seu fã-clube. Após ser demitida por uma suspeita de roubo, em uma das empresas de Selena no qual a era administradora, Saldívar  não consegui lhe dar com a rejeição de sua ídola;  atraiu a cantora para um hotel, e, após uma discussão, atira na jovem pelas costas.
Imagem real de Selena em seu caixão, o filme
trás algumas imagens de noticiários da época,
onde mostra a comoção das pessoas e a multidão
que se forma para lhe dar o ultimo adeus./ Foto reprodução 

O filme trás apenas alguns fleches da morte da jovem cantora que causou forte comoção, sendo noticia em todo o mundo, o foco é a vida de um alguém que acreditou em seu sonho, mesmo com todas as adversidades. A temática não esta apenas voltada ao entretenimento e a biografia de uma pessoa famosa, temos questões sociais tais como: o preconceito que os latinos/mexicanos-americanos enfrentavam nos Estados Unidos, a mulher ganhando espaço no universo musical e o principal deles o fanatismo.
jennifer Lopes em cena/ foto reprodução


Jennifer Lopes, foi selecionado para interpretar a personagem principal por sua capacidade vogal, e por ter as mesma medidas de Selena ( boa parte dos figurinos usados nas filmagens eram da própria Selena).
Jennifer Lopes no papel de Selena/ Foto reprodução

Imagem real de Selena/ Foto reprodução

Os traços Latinos da cantora eram bem expressivos, para deixar a interprete o mais parecida possível, trabalhos de enchimento nas nádegas, maquiagens com delineado gatinho, para aproximar-se ao olho puxado da cantora, contorno de boca para fora, para deixar os lábios mais carnudos; foram alguns dos artifícios usados na caracterização. Tudo foi muito bem pensado, para deixar o mais realista possível a história.
Devo admitir que o filme causa-me forte comoção, é com muito prazer que o indico,  tenho apresso pela história dessa obra cinematográfica. Tentei ser o mais sucinta possível,a ideia não é resenhar o filme, e sim motiva-los a assistir. Espero que gostem!

17 março 2017

DESCONSTRUÇÃO DE UM MITO: FILME LOVELACE

Para você que gosta de filme biografia esta é uma ótima dica, história de uma mulher que se torna simbolo da liberdade sexual em uma época cheia de preconceitos e estereótipos, onde o único lugar destinado ao sexo feminino é o lar.


Foto reprodução

Estou sem tempo para atualizar o blog, como toda mulher tenho multifunção além da dupla jornada de trabalho. Para que não fiquemos sem conteúdo teremos postagem com temas fixos semanais com música e filme da semana,  são textos mais curtos, porém com ótimas dicas espero que gostem. A indicação de hoje é o filme Lovelace.


 
 Linda Susan Boreman 1972/ foto reprodução
O filme lançado em 2013, baseado em fatos reais, conta a trajetória de Linda 
Susan Boreman (Amanda Seyfried) considerada uma das maiores atrizes pornô nos Estados Unidos, embora tenha feito apenas um filme; Garganta profunda, lançado em 1972. A trama gira em torno do relacionamento abusivo entre ela, e Chuck Traynor interpretado por Piter Sarsgaard.


Embora aborde a ascensão de uma pessoal comum na pornografia  não há muito sobre os bastidores da indústria pornográfica, o foco está  no sofrimento por trás da estrela de cinema que na vida publica era vista como símbolo da liberdade sexual, livre que fazia o que queria e quando queria, mais na verdade era uma jovem reprimida.
Cena original de "Garganta Profunda" com Linda Lovelace e Harry Reems/ Foto: reprodução
Com o sucesso da atriz, o casal ganha muito dinheiro, porém o marido ambicioso a obriga a manter relações sexuais com outros homens para conseguir ainda mais. Cansada das humilhações a jovem mesmo com relutância de Chuck encerra o casamento e a carreira, a biografia assume a função de atenuar a imagem de Linda, mostrando que foi apenas uma boa moça que foi usada pelo homem que deveria proteger e zelar por sua integridade física e moral. 


Essa é a dica de filme da semana, que por se tratar de uma biografia, atrai interesse.Embora não o considere uma grande produção, conta com bons atores. O roteiro deixa a desejar, talvez por não ser muito detalhista. No final não há ênfase aos últimos anos da vida de Linda, se de fato conseguiu mudar o estigma entorno de sua imagem, sua morte em um acidente de carro em 2002 seu engajamento no ativismo antipornografia, que é apenas citado. Enfim, esses fatos não desqualificam a obra, vale apena assistir recomendo, se gostar volte aqui para dar sua opinião.

04 março 2017

ANGÉLICA FREITAS, REFLEXOS DA PRÁTICA DE MAGIA E RELIGIÃO WICCA

Os rituais wiccanos são realizados no interior de um círculo mágico com a utilização de instrumentos de altar como vassouras, cálices, caldeirões e outros./ foto: Arquivo pessoal.

Angélica Freitas/ Foto arquivo pessoal

Angélica Freitas mora em Portugal e vem de uma família tradicionalmente católica, como a maioria no país. em 2013 aos 18 anos em busca de respostas sobre acontecimentos por ela julgado estranhos, resolveu pesquisar sobre o ocultismo. Em meio as pesquisas encontrou a religião antes não conhecida por ela; a Wicca, a partir de então, resolveu aprofundar os estudos na internet, como ela mesmo afirma: "Conheci a religião pois estava a procura de respostas a algo que me aconteceu e cliquei em um blog de Wicca. Nessa noite li o blog inteiro e quanto mais lia mais queria ler, porque identifiquei-me com muitas coisas."
 
Após um período de estudos solitários pela internet e com livros, obteve uma mestra que a orientou e aprofundou os conhecimentos básicos. Hoje aos 21 anos, faz parte de um Clã que engloba pessoas de vários países .  No entanto a falta de informação de algumas pessoas e informações equivocadas enraizadas pela inquisição no século XIII, e reforçada pela caça as bruxas no século XV, e mais recentemente pelos filmes, reforçam o estereotipo negativo em torno da religião, o que Angélica enfrenta todos os dias até mesmo com sua família.  
 
"Preconceito referente a religião é crime, mas sempre me deparo com estas situações. A primeira vez foi por causa da minha mãe, quando ela descobriu através de um ex namorado. Ela falou que eu era do diabo, que o servia. E aqui na residência universitária uma recepcionista falou para levar as velas para casa. Nesse dia estava acompanhada e essa pessoa chamou-lhe a razão. Ela nunca mais falou nada. Recentemente as minhas colegas de quarto reclamaram na administração que eu tinha velas no quarto. Se elas assinarem um documento com a reclamação, eu posso processá-las e é um direito meu fazê-lo." Completa a jovem.
 
Foto: Arquivo pessoal
 Muitos acreditam que a religião wicca, estar relacionada a rituais satânicos, mas na verdade os wiccanos fazem culto a mãe natureza.

"Ser Wiccan não é ser uma pessoa maldosa, pelo contrário, gostamos de ajudar. Não fazemos sacrifícios, não acreditamos no Diabo ou em Satã. Amamos a Natureza  a respeitamos e obtemos o seu respeito e ajuda. Mantemos o equilíbrio conosco e com o que nos rodeia." ( Angélica Freitas) 

Nem Todo Wiccano é bruxo, e nem todo bruxo é Wiccano De fato existem pessoas que usam magia para o mal, a religião de Angélica utiliza a magia para estar em equilíbrio com a natureza, esta prega que devemos fazer o bem para receber o bem, baseada na Lei Tríplice diretriz que afirma que tudo que você fizer a alguém voltará para você três vezes mais forte. Os wiccanos são livres não existe regras pré estabelecidas, no entanto, nada deve ser feito que prejudique a se mesmo ou ao o outro. 
 
Angélica Freitas/Foto: Arquivo pessoal
Nossa mulher orgulho representa várias outras que sofrem com a opressão da liberdade de exercer sua fé, por pessoas que pensam limitado, que querem converter o outro por acreditar que só sua ideologia é verdadeira, vale ressaltar que uma não anula a outra. 

Angélica não faz mal a ninguém, mais em seu cotidiano tem que lhe dar com pessoas que acreditam que a qualquer momento ela pode lhe jogar uma maldição ou lhe fazer o mal.  Os padrões de certo ou errado são opressores e excludentes, é preciso ter a percepção que existe realidades diferentes, sendo estas  que fazem a dinâmica social, saber lhe dar com elas permite-nos melhor interagir e desenvolver o respeito mútuo. 
 
Foto: Arquivo pessoal
Angélica, usa preto, tem vassoura ( só não voa), tem caldeirão, chapéu grande, livro das sombras... Muita coisa que lemos nas histórias e vemos nos filmes, de fato temos. O que não é mostrado por estes é que essas pessoas são como qualquer um de nós, e que não pregam o ódio, e sim o amor como qualquer outra religião, mais a representação negativa é o que vende, assim esta se mantém e alimenta o preconceito.

Se não conhece não julgue, se não concorda respeite. Temos a liberdade de ser o que queremos como queremos e quando queremos e existe um universo inteiro de possibilidades.

Para saber mais sobre Angélica e sobre a religião Wicca acesse seu blog: http://www.charmingwiccan.com/