25 fevereiro 2017

NESSE CARNAVAL SE "DEU ONDA" ,CAIA FORA É FURADA


Previna-se, não é sarcasmo ou ironia é informação.


Foto reprodução/ fonte: Pixabay



Amado por alguns e odiado por outros o carnaval; festa tradicional que surgiu no século XI, onde as pessoas cometia seus excessos antes de iniciar um longo período de privações de 40 dias ( Quaresma) momento de reflexão espiritual, prevalece até os dias atuais. Bom, a parte da reflexão espiritual nem tanto, já sobre os excessos cometidos em nome da alegria são muitos; uso exagerado de drogas lícitas e ilícitas, violência... Claro que isso não se aplica a todos, existe aqueles que vão realmente para se divertir, algumas mulheres acabam até encontrando o amor de sua vida. Será?

O rit do momento na música brasileira e claro nesse carnaval é a música Deu onda, composta e interpretada por Gabriel Soares conhecido no meio artístico como MC G15. Muitos homens andam por aí se declarado apaixonado através da música ( que saudade das serenatas, pena que não nasci nessa época). Pensando nisso resolvi esmiuçar a letra para mostra a você cara amiga leitora  que , se "deu onda", caia fora é furada.

A música possui duas versões a proibidão que toca nos bailes fank lançada em 22 de novembro de 2016, e que teve um sucesso estrondoso, mais por ter explicita conotação sexual e apologia as drogas e ao sexo criou-se e a versão comercializada para assim poder tocar nos diferentes veículos de comunicação, lançada em forma de vídeo clipe no dia 21 de dezembro. O que é fato é que as duas versões dizem a mesma coisa.

A letra a principio pode parecer uma obra prima poética com linguagem das ruas; Eu preciso te ter/Meu fechamento é você mozão. Realmente lindo, mais logo em seguida já se acende a luz amarela e temos um cara viciado em drogas que ver no sexo, disse sexo e não na mulher uma forma de abster-se dos vícios; Eu não preciso mais beber/ e nem fumar maconha/ que sua presença me deu onda/ o seu sorriso me deu onda/ você sentando mozão/ me deu onda. O ponto alto da música estar no refrão: Ai que vontade de te ter/ fazer o que / o pai te ama. Sabemos quem é o "pai" preestabelecido no contexto, sendo assim o cara disse que gosta de você, simples e básico, no entanto ele necessita de você porque o "pai" te ama. Resumindo não é sobre o amor que refere-se  a musica, é sobre sexo e drogas.
 
Foto reprodução/ fonte: Pixabay
Se nesse carnaval alguém vier com essa história de deu onda, caia fora, a não ser que você também queira curtir, aí então meu conselho é: PREVINA-SE USE CAMISINHA, não corra o riscos de contrair doenças sexualmente transmissíveis ou uma  gravidez indesejada. 
 Muitos brincam com essa história dos nove meses após o carnaval, mais o assunto é sério, para o homem nesses casos tem como seguir sua vida normal mesmo assumindo a responsabilidade ( o que nem sempre acontece). Para a mulher a situação é bem diferente, carregar uma barriga no momento inesperado transforma sua vida completamente, muitas não conseguem lhe dar com a situação e acabam colocando suas vidas em risco nos "açougues" humanos, algo  considerado crime no país e condenado pela igreja. Assim temos uma mulher desmoralizada como se o crescimento de sua barriga fosse símbolo de sua vergonha ou mulheres assassinas, que por trás destas na maioria dos casos tem um homem que não assume a paternidade e uma família que abandona.

Então nesse carnaval não vá na onda, brinque com responsabilidade. Sobre a música a usei apenas para chamar atenção, embora não concorde com a letra e acredite que a qualidade das músicas no Brasil só vem caindo, hoje, é esse estilo que vende. O menino Gabriel o G 15, só tem 18 anos começou aos 15, vem da periferia e canta sua realidade, embora seja condenado pelos moralistas de plantão, e "fuja aos bons valores", com o sucesso que vem fazendo o jovem transformou sua vida e de sua família formada por oito irmãos.