19 novembro 2016

PÉROLAS NEGRAS


 Dia 20 de novembro, é  dedicado a consciência negra, a essas lindas que tem consciência de quem são que buscam seu espaço, sem medos, sem receios, o nosso orgulho. Estas são nossas Perolas Negras - preciosas e resistentes.


Foto: Hyago Kayann

É através das representações que forma-se os discursos sociais, a partir destes, estabelece-se o que é belo e o que julgam não ser agradável aos olhos, e vários outros estereótipos excludentes. Esta divisão inferiorizante e discriminatória, afeta significativamente a autoestima do ser humano.




As mulheres negras, por muito tempo foram afetadas por estes conceitos opressores, que ainda persistem nos tempos atuais.O que mudou foi a forma de lhe dar com os fatos. Através da ousadia de algumas mulheres , outras estão sendo motivadas a perceber-se enfrentar a grande avalanche preconceituosa existente, que antes as engoliam, e hoje não o faz com tamanha intensidade. 
Foto: Arquivo pessoal

Mulheres que sofreram, com a discriminação, hoje autoafirmam-se seja por meio das roupas dos cabelos, do falar... sem medo, sem receios. Essa ousadia, fez com que a representatividade ganhe espaço e cada vez mais  torne -se comum a presença dessas mulheres na mídia, e nos diferentes meios socias.
Foto: Arquivo pessoal

Estamos construindo uma nova geração, ainda há muito a ser feito, mais ressignificações no ser mulher e negra, estão ganhando força. A realidade ainda é opressora, mas neste dia da consciência negra, não quero enfatizar mazelas, mas respaldar as mulheres que tem consciência de quem são, os espaço que ocupam os novos espaços que estão ganhando, mulheres engenheiras, advogadas, medicas, e tantas outras profissões ocupadas por estas antes até proibidas de sonhar. 

Ascender, e afirma-se socialmente é algo muito difícil para a mulher, em especial a negra. Essa afirmação não é vitimação, A realidade está ai para nos mostrar. É dessas dificuldades que advém a força, quando mais desafios encontrados, mais força buscam para supera-los o que fazem dessas mulheres "gradiadoras", preciosas.
Foto: Arquivo pessoal