30 novembro 2016

MULHER DE COR



Poema escrito por Maiza Silva em exaltação e expressão do orgulho em ser mulher negra. Embora o empoderamento negro tenha significado coletivo, a jovem maranhense não tem receios de viver sua individualidade, sem deixar de autoafirmar-se. 

Maiza Silva/ Foto: Hyago Kayann



Sou mulher, sou negra.
Carrego comigo a cor e o sabor.
Carrego no peito pulsante, 
A dança do batuque do tambor!
Carrego nos traços as linhas,
Que contam minha história.

Carrego no peito o orgulho,
De ser mulher de cor,
Sim... mulher de viva cor!
Pois eu nasci para as cores!
... E não para as dores,
Eu nasci para pintar!

Pintar o desamor, com flores.
Sou da cor da noite que fascina,
Sou mulher de intensos amores!
Da cor, da luta pela liberdade!
De ser filha dessa terra, guerreira!

Sou negra, mulher de cor.
Porque minha alma é colorida.
E não essa capa cinza e fria,
Dessa sociedade de hipocrisia. 

(Maiza Silva)