MAQUIAGEM: CORRIGINDO E PREENCHENDO A SOBRANCELHA

21 janeiro 2018

As sobrancelhas são determinantes na harmonia dos traços do rosto, quando bem desenhadas realça a expressão. Assim em toda e qualquer maquiagem estas merecem uma atenção especial.


Para quem gosta de um olhar marcado e expressivo, preencher as sobrancelhas com sombra e contornar com corretivo é uma ótima dica, alguns preferem o lápis, mas este não é muito indicado, o atrito do mesmo pode causar a perda de fios a longo prazo, deixado a sobrancelha com ainda mais falhas.
 Existe diferentes forma de fazer o processo e todos são simples e práticos, vou indicar o que mais uso. Vamos aos matérias:

  • Sombra marrom clara e escura
  • Pincel chanfrado
  • Pincel para pentear a sobrancelha
  • Corretivo 
  • Spray de cabelo (opcional)
O Spray de cabelo é um truque principalmente para quem vive com os fios bagunçados. Aplique um pouco no pincel para pentear e penteie os fios de baixo para cima, em seguida  faça um traço com a sobra marrom na parte inferior da sobrancelha iniciando com a mais clara e finalizando com a mais escura, não esqueça de esfumar tudo de baixo para cima, (uma outra opção é fazer um traço em cima e em baixo e esfumar tudo em movimentos de vai e vem) . Para deixar-las mais marcadas e definidas use o corretivo; a dica é usar um de tom mais claro na parte inferior e um outro mais próximo do tom da sua pele na parte superior.

Com essa técnica podemos ousar engrossando, afinado adaptando - a para o  design de preferência, isso com cautela, se você não tem experiência nem conhecimento sobre o assunto, opte em seguir o desenho natural.

O preenchimento de sobrancelha é um coringa,  quando você estiver sem tempo de fazer todo o processo de  maquiagem uma dica é realçar o olhar. Mas para quem prefere fazer todo os passos básicos, temos uma postagem aqui com  dicas básicas de materiais e seu uso.

RESPEITO

19 janeiro 2018

Por Auridiane Carvalho


O que seria de nós se não houvesse a diversidade?
Seria tudo sem graça sem cor, monocromático.
Divergir nos permite ir além
mesmos quando navegamos em águas turbulentas.

O diverso faz parte do universo
de você e de mim.
Nós, que fazemos parte deste entrelaçado
com teias de conflitos injustificados,
mas justificados por quem os alimentam.

Vivemos em um nós  limitado na discrepância social, 
só há um nós se for da mesma cultura raça, gênero, religião...
Tudo é uma questão de opinião convergente,
se não convergir, não há interação.

É preciso ampliar em caráter de urgência 
a visão de mentes atrofiadas.
Preconceito, falta de respeito
desnaturam o direito de ser
são atitudes ultrapassadas.

TRIZ E SEU RAP VISIONÁRIO

12 janeiro 2018

Artista nem mulher nem homem.

Foto: Divulgação

A música desta semana tem caráter ativista, a artista ainda não é tão conhecida na grande mídia, mas já acumula um grande público por sua representatividade. Antes de mais nada gostaria de afirmar que não sei qual artigo usar pois quem canta a música afirmar ter gênero neutro, assim "a" ou "o"  não o determina. 
A música intitulada ELEVAÇÃO MENTAL levanta o debate sobre gênero, foi escrita e é interpretada por Triz, rapper paulista de apenas 18 anos. O "apenas" se deve pela ousadia de nessa idade se expor e colocar com tanta verdade e intensidade   uma temática tratada como tabus para alguns. Logo no inicio há um pedido de respeito a sua identidade de gênero.

"Família, primeiramente eu queria deixar bem claro
Que eu não to aqui pra representar o rap feminino não, certo?
E muito menos o masculino
Eu to aqui pra representar o Rap Nacional
E eu peço que respeitem a minha identidade de gênero, demorou?"
foto: Divulgação

 Cada estrofe é uma provocação para que possamos perceber uma outra realidade, a opressão cruel e homicida na qual sofrem todos os dias os membros da comunidade LGBT, que possui  índices alarmantes  de assassinatos no país, tudo levado pela intolerância. A letra afirma que é preciso abrir a mente ( ser visionário)o mundo é de todos, todos tem o seu espaço.
Foto reprodução/ Facebook
Triz possui identidade de gênero transgênero não binário, não se identifica nem como homem nem como mulher. De fato é difícil entender, mas como a letra mesmo diz você só precisa ter respeito, o preconceito sofrido pela a artista é exposto ao logo da letra, as formas nas quais tentam lhe humilhar lhe ridicularizar e esquecem de ver o principal; sua essência.

"Você me insultou julgando minha aparência
 Só se esqueceu de ver o brilho da minha essência.
 Falou do meu cabelo, meu dente separado..."

A música possui a batida característica do rap, o refrão o ponto alto objetiva tocar de fato as pessoas com uma melodia mais suave e melódica quase como um sussurro de socorro na busca por respeito.
REFRÃO:

"O preconceito não te leva a nada
Não seja mais um babaca de mente fechada
Por que o ódio mata, só o amor sara
De qual lado cê vai ficar?"

Está é a dica da semana, pode parecer pesado para alguns, mas envolve muita verdade e emoção, as minorias ganham voz e precisam ser ouvidas ser visionário é uma necessidade. Espero que possamos ver Triz ainda muito no cenário nacional, seu talento é inquestionável.